A indulgência plenária na festa da misericórdia

festa-da-Misericórdia

Entre as fartas indulgências que a Igreja está nos concedendo com o Jubileu Extraordinário da Misericórdia, não podemos esquecer da indulgência plenária na Festa da Misericórdia (Segundo Domingo de Páscoa). Nas revelações de Nosso Senhor a Santa Faustina, por volta de 1930, Ele pediu para que fosse estabelecida em toda a Igreja, oficialmente, a “Festa da Misericórdia”:

“Desejo que a Festa de Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Nesse dia estão abertas as entranhas da minha Misericórdia. Derramo todo o mar de graças nas almas que se aproximarem da fonte da minha Misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e castigos. Nesse dia estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como escarlate… A Festa da Misericórdia saiu das minhas entranhas… Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa. A humanidade não terá paz enquanto não se voltar à fonte da minha Misericórdia.” (Diário nº.699)

O perdão das culpas e castigos prometido por Jesus foi estabelecido para toda a Igreja quando, por mandato de São João Paulo II, a Santa Sé publicou o “decreto sobre as indulgências recebidas na Festa da Divina Misericórdia”, que instituiu oficialmente a indulgência plenária para esta festa.

Jesus também pediu que a Festa da Divina Misericórdia fosse precedida por uma Novena à Divina Misericórdia, a ser iniciada na Sexta-Feira Santa. Ele deu a Irmã Faustina uma intenção pela qual rezar a cada dia da Novena. Em seu diário, Irmã Faustina relata que Jesus lhe disse:

“Em cada dia da novena, conduzirás ao Meu coração um grupo diferente de almas, e as mergulharás no oceano da minha Misericórdia. Eu conduzirei todas as almas à casa do meu Pai… Por minha parte, nada negarei a nenhuma daquelas almas que tu conduzirás à fonte da minha Misericórdia. Cada dia pedirás a meu Pai, pela minha amarga Paixão, graças para essas almas.” (Diário nº.1209)

Portanto, para obter a indulgência plenária da Festa da Misericórdia (lembrando: o Segundo Domingo de Páscoa), devemos cumprir as condições habituais: confissão sacramental (que não precisa ser feita no mesmo dia), comunhão eucarística e oração pelas intenções do Sumo Pontífice; realizar atos de piedade em honra da Misericórdia divina ou rezar, na presença do Santíssimo Sacramento da Eucaristia, publicamente exposto ou no Sacrário, o Pai Nosso e o Credo, acrescentando uma invocação piedosa ao Senhor Jesus (por exemplo, Jesus misericordioso, eu confio em Vós!)

Bibliografia: Decreto Misericors et miserator Dominus (indulgência para a Festa da Misericórdia) – http://www.vatican.va/roman_curia/tribunals/apost_penit/documents/rc_trib_appen_doc_20020629_decree-ii_po.html

ACI Digital – Fiéis poderão ganhar a Indulgência Plenária no Domingo da Divina Misericórdia http://www.acidigital.com/noticias/fieis-poderao-ganhar-a-indulgencia-plenaria-no-domingo-da-divina-misericordia-57044/

Conteúdo copiado de http://totusmariae.org/blog/espiritualidade/devocoes/indulgencia-plenaria-na-festa-da-misericordia/

Anúncios
%d blogueiros gostam disto: