Pe. Jozo nos fala sobre o rosário.

625459_340298649405334_708064551_n

Queridos irmãos, a paz! Nesta belíssima meditação, Pe. Jozo (o sacerdote que era o pároco da Paróquia São Tiago Maior, em Medjugorje, na época em que tiveram início as aparições de Nossa Senhora) nos lembra que o rosário tem o poder de transformar aqueles que o rezam e que, através desta oração, Nossa Senhora quer renovar e salvar o mundo.

Queridos filhos, rezem juntos, rezem o Rosário todos os dias!
“Um grupo de bispos americanos esteve em Medjugorje por uma semana. Depois que lhes dei o Rosário bento, um deles exclamou, cheio de surpresa: “Padre, o meu Rosário mudou de cor!”. São muitas as pessoas que neste ano me disseram a mesma coisa. Eu sempre respondi: “Se o seu Rosário mudou de cor, não sei, posso somente assegurar-lhe que o Rosário muda o homem que o reza”.
Se você deseja transmitir àqueles que você ama, à sua família, uma graça que irá crescer neles, transmita-lhes o dom da oração. Nos dias de hoje, faltam mestres da oração, faltam escolas de oração e acontece a decadência do amor. Faltam educadores, mestres do bem, faltam sacerdotes santos e faltam, no mundo, o conhecimento de Deus, o amor, os valores divinos. Por isso, é importante renovar a oração no interior da família. Se você quiser se tornar mestre da oração, deve começar a vivê-la na sua família, transmiti-la com entusiasmo àqueles que você ama e ajudar a desenvolver este dom rezando com eles.
Um grupo de bispos americanos esteve em Medjugorje por uma semana. Depois que lhes dei o Rosário bento, um deles exclamou, cheio de surpresa: “Padre, o meu Rosário mudou de cor!”. São muitas as pessoas que neste ano me disseram a mesma coisa. Eu sempre respondi: “Se o seu Rosário mudou de cor, não sei, posso somente assegurar-lhe que o Rosário muda o homem que o reza”.
A pequena igreja familiar que não reza não pode gerar seres vivos. A sua família deve permanecer viva para dar à luz seres vivos à Igreja.
No campo da pedagogia foram feitas pesquisas interessantes. Há dois anos, cientistas de diversos países tornaram conhecida uma pesquisa feita com crianças, acompanhando-as desde o nascimento até a maturidade. Concluíram que cada pessoa recebe mais de três mil e quinhentos dons diversos. Também verificaram que a maior parte destes dons se tornam ativos e se desenvolvem dentro da família.
Quando os pais vivem normalmente uma relação de amor, não se preocupam quando e como se desenvolverá a capacidade de amar no próprio filho, porque ambos criam o clima adequado que gera o amor no coração do filho. Se o pai e a mãe rezam em família, não sabem quando se desenvolverá em seu filho a capacidade de rezar, mas podem estar certos de que seu filho recebeu, através deles, este dom.
Os dons são como as sementes, têm uma potencialidade intrínseca. São semeados e cuidados para que possam crescer e dar fruto. São tantas as línguas que se falam sobre a terra, e a cada uma se dá o nome de “língua materna”. Cada um de nós tem sua língua materna, aquela que se aprende em casa. A língua materna da Igreja é a oração: ensina-a a mãe, ensina-a o pai, ensinam-na os irmãos. Cristo, nosso irmão mais velho, nos ensinou como devemos rezar. A Mãe do Senhor, e nossa Mãe, nos ensina como rezar.
A pequena igreja, que é a família, inesperadamente, na maior parte da Europa, esqueceu a oração. A nossa geração já não sabe mais rezar. E isto coincidiu com a entrada em casa da televisão. A família não procura mais o seu Deus, os pais não conversam mais, todos, inclusive os filhos, prestam toda a sua atenção aos programas da TV. Nos últimos trinta anos, cresceu uma geração que não conhece o que significa rezar, que nunca rezou em família. Conheci muitas famílias que, não rezando, chegaram à completa desagregação.
A família é mais importante que a escola. Se a família não transmite os dons ao filho e não o ajuda a desenvolvê-los, ninguém o poderá fazer em seu lugar. Ninguém! Não existe sobre a terra um sacerdote ou religioso que possa substituir o pai. Não existe professora nem religiosa que possa substituir a mãe. A pessoa tem necessidade da família.
O amor não se aprende em sala de aula. A fé não se aprende pelos livros. Entende? Se na família se perde a fé, o filho não a recebe, deverá procurá-la e terá necessidade de grandes sinais para encontrá-la, como São Paulo. É normal que a família desenvolva os dons, como é normal que a terra produza seus frutos e as novas sementes que alimentarão outras gerações. Nada pode substituir a família.
Como consertar os fundamentos desta instituição divina, que é a família cristã? Eis o conteúdo das mensagens da Virgem Bendita! Eis o que a Rainha da Paz, que vem nos visitar em Medjugorje, ensina à nossa geração.
Nossa Senhora deseja renovar o mundo, salvar o mundo. Muitas vezes, disse chorando: “Queridos filhos, rezem juntos… rezem o Rosário todos os dias”. Hoje são muitos os lugares onde as pessoas rezam juntas o Rosário.
Quando eu estava no avião, li no jornal um artigo sobre a guerra. Os muçulmanos, vendo uma jovem rezar o Rosário, lhe cortaram a mão. O Rosário permaneceu na mão cortada da moça, assim como permaneceu em seu coração a fé. No hospital, ela disse: “Ofereço a minha dor pela paz”.
Se desejamos renovar nossas famílias, devemos desenvolver novamente o dom da oração, começar a rezar. Para isso existem os grupos de oração: para desenvolver o dom e depois introduzi-lo na família, levá-lo àqueles que mais amamos. Se uma família reza, torna-se cada vez mais unida e pode transmitir o dom aos outros.”
Padre Jozo Zovko

(Fonte: http://nossasenhorademedjugorje.blogspot.com.br/2010/10/pe-jozo-nos-fala-sobre-o-rosario.html)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: