Hoje é a Festa da Divina Misericórdia!

Olá queridos irmãos!

Hoje é a Festa da Divina Misericórdia!

Jesus disse para a Santa Faustina:

“Desejo que a Festa da Misericórdia seja refúgio e abrigo para todas as almas, especialmente para os pecadores. Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha misericórdia. Derramo todo um mar de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e comungar alcançará o perdão das culpas e das penas. Nesse dia, estão abertas todas as comportas divinas, pelas quais fluem as graças. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate. A Minha misericórdia é tão grande que, por toda a eternidade, nenhuma mente, nem humana, nem angélica a aprofundará. Tudo o que existe saiu das entranhas da Minha misericórdia. Toda alma contemplará em relação a Mim, por toda a eternidade, todo o Meu amor e a Minha misericórdia. A Festa da Misericórdia saiu das Minhas entranhas. Desejo que seja celebrada solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa” (D. 699); “Desejo conceder indulgência plenária às almas que se confessarem e receberem a Santa Comunhão na Festa da Minha misericórdia” (D. 1109).

Obs: Quem ainda não se confessou, pode se confessar até 8 dias depois de amanhã para alcançar a indulgência plenária, mas comunguem amanhã nessa intenção e façam a confissão também nessa intenção, se aproximando da infinita misericórdia divina! Não percamos a oportunidade de pela infinita misericórdia de Jesus, termos todos os nossos pecados perdoados e a punição devida a eles. “Jesus eu confio em Vós.”

Aproveito para colocar o terço da misericórdia para quem quiser rezá-lo hoje e sempre!

Que Jesus Misericordioso abençoe muito cada um de vocês, saibam que rezo com muito amor por cada intenção que pedem, como desejo o bem de vocês, saibam que amando plenamente nosso Deus e amando Maria, vocês serão muito felizes e conseguirão superar cada dificuldade com mais força e paz, confiando na misericórdia divina para sempre!

Jesus e Maria nos amam com um amor infinito!

Tenham todos um santo domingo!

Com muito amor,

Juliana Gonçalves dos Santos.


Anúncios

2 Respostas

  1. gostaria de saber mais sobre indulgencia plenaria , como ela e feita . meu pai comentava sobre isso mas agora e falecido.gostaria de sber por quem e quando devemos pedir a indulgencia plenaria

    • Olá Terezinha,
      As indulgências podem ser oferecidas em favor das pessoas falecidas que, no purgatório, ainda tenham que prestar satisfação pelos pecados cometidos nessa vida. No entanto você pode ganhar indulgências parciais ou plenárias para você mesma ou aplicá-las aos defuntos como sufrágio, mas não a outras pessoas vivas sobre a terra.
      Para ganhar a indulgência plenária é preciso: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do Sumo Pontífice (o Papa Bento 16).
      A Indulgência plenária só pode ser obtida uma vez por dia. Mas para a conseguir, além do estado de graça, é necessário que o fiel: tenha a disposição interior do completo afastamento do pecado, mesmo só venial; se confesse sacramentalmente dos seus pecados; receba a Santíssima Eucaristia (certamente é melhor recebê-la participando na Santa Missa: mas para a Indulgência só é necessária a sagrada Comunhão); ore segundo as intenções do Sumo Pontífice.
      É conveniente, mas não é necessário que a Confissão sacramental, e em especial a sagrada Comunhão e a oração pelas intenções do Papa sejam feitas no mesmo dia em que se cumpre a obra indulgenciada, mas é suficiente que estes ritos sagrados e orações se cumpram dentro de alguns dias (cerca de 20), antes ou depois do ato indulgenciado. A oração segundo a intenção do Papa é deixada à escolha do fiel, mas sugere-se um “Pai Nosso” e uma “Ave Maria”. Para diversas Indulgências plenárias, é suficiente uma Confissão sacramental, mas requerem-se uma distinta sagrada Comunhão e uma distinta prece, segundo a intenção do Santo Padre, para cada Indulgência plenária.
      Vale ressaltar também que o fiel cristão que usa objetos de piedade (crucifixo ou cruz, rosário, escapulário, medalha) devidamente abençoados por qualquer sacerdote ou diácono, ganha indulgência parcial. Se os mesmos objetos forem bentos pelo Sumo Pontífice ou por qualquer Bispo, o fiel, ao usá-los com piedade, pode alcançar até a indulgência plenária na solenidade dos Santos Apóstolos Pedro e Paulo, se acrescentar alguma fórmula legitima de profissão de fé.
      Para que alguém seja capaz de lucrar indulgências, deve ser batizado, não estar excomungado e encontrar-se em estado de graça, pelo menos no fim das obras prescritas.
      A indulgência plenária só se pode ganhar uma vez ao dia. Contudo, o fiel em artigo de morte pode ganhá-la, mesmo que já a tenha conseguido nesse dia.
      A indulgência parcial pode ganhar-se mais vezes ao dia, se expressamente não se determinar o contrário.

      Vou colocar para você alguns algumas indulgencias eXTRAÍDaS DO ‘MANUAL DAS INDULGÊNCIAS’, EDITADO PELA PENITENCIARIA APOSTÓLICA EM 29 DE JUNHO DE 1968.
      (Edições Paulinas, São Paulo, 1990)

      INDULGÊNCIA PARCIAL
      – Atos de Fé, Esperança e Caridade.
      – ‘Nós vos damos graças, Senhor, por todos os vossos benefícios. Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos. Amém.
      – Santo Anjo (oração ao Anjo da Guarda)
      – Angelus, Regina Caeli.
      – Alma de Cristo.
      – Comunhão Espiritual.
      – Creio
      – Ladainhas aprovadas pela autoridade competente. Sobressaem-se as seguintes: Santíssimo Nome de Jesus, Sagrado Coração de Jesus, da Santíssima Virgem Maria, de São José e de Todos os Santos.
      – Magnificat.
      – Lembrai-vos
      – Miserere (Tende piedade)
      – Ofícios breves: Ofícios breves da Paixão de NSJC, Sagrado Coração de Jesus, da Santíssima Virgem Maria, da Imaculada Conceição e de São José.
      – Oração mental.
      – Salve Rainha.
      – Sinal da Cruz.
      – Veni Creator.
      – Renovação das promessas do batismo.

      INDULGÊNCIAS PLENÁRIAS
      (OBS.: Como acima, aqui só constam algumas das indulgências do manual).
      – Indulgência plenária – Concede-se indulgência parcial ao fiel que visitar o Santíssimo Sacramento para adorá-Lo, se o fizer por meia hora ao menos, a indulgência será plenária.
      – Visita ao cemitério – Ao fiel que visitar devotamente um cemitério e rezar, mesmo em espírito, pelos defuntos, concede-se indulgência aplicável somente às almas do purgatório. Esta indulgência será plenária, cada dia, de 1 a 8 de novembro; nos outros dias será parcial.
      – Exercícios espirituais – Concede-se indulgência plenária ao fiel que faz os exercícios espirituais ao menos por três dias.
      – Indulgência na hora da morte – O sacerdote que administra os sacramentos ao fiel em perigo de vida não deixe de lhe comunicar a bênção apostólica com a indulgência plenária. Se não houver sacerdote, a Igreja mãe compassiva, concede benignamente a mesma indulgência ao cristão bem disposto para ganhá-la na hora da morte, se durante a vida habitualmente tiver recitado para isso algumas orações. Para alcançar esta indulgência plenária louvavelmente se rezam tais orações fazendo uso de um crucifixo ou de uma simples cruz.
      A condição de ele habitualmente ter recitado algumas orações supre as três condições requeridas para ganhar a indulgência plenária. A mesma indulgência plenária em artigo de morte, pode ganhá-la o fiel que no mesmo dia já tenha ganho outra indulgência plenária. (Esta concessão vem assinalada na const. apost. Indulgentiarum Doctrina, norma 18)
      – Primeira Comunhão – Concede-se indulgência plenária aos fiéis que se aproximarem pela primeira vez da sagrada comunhão, ou que assistam a outros que se aproximam.
      – Reza do Rosário de Nossa Senhora – Indulgência plenária, se o Rosário se recitar na igreja ou oratório público ou em família, na comunidade religiosa ou em pia associação; parcial, em outras circunstâncias.
      (O Rosário é uma fórmula de oração em que distinguimos quinze dezenas de saudações angélicas [Ave-Marias], separadas pela oração dominical [Pai-nosso] e em cada uma recordamos em piedosa meditação os mistérios da nossa Redenção). Chama-se também a terça parte dessa oração o Terço. Para a indulgência plenária determina-se o seguinte:

      1 – Basta a reza da terça parte do Rosário, mas as cinco dezenas devem-se recitar juntas.
      2 – Piedosa meditação deve acompanhar a oração vocal.
      3 – Na recitação publica, devem-se anunciar os mistérios, conforme o costume aprovado do lugar; na recitação privada, basta que o fiel ajunte a meditação dos mistérios à oração vocal.
      – Leitura espiritual da Sagrada Escritura – Concede-se indulgência parcial ao fiel que ler a Sagrada Escritura com a veneração devida à palavra divina, e a modo de leitura espiritual. A indulgência será plenária, se o fizer pelo espaço de meia hora pelo menos.
      – Visita à igreja ou altar no dia da dedicação e aí piedosamente rezar o Pai-nosso e o Credo.

      Ganha-se também Indulgência Plenária:

      • Recitando o terço numa igreja ou capela, ou um grupo de pessoas em família.

      • Fazendo a leitura da Bíblia por meia hora.

      • Fazendo o exercício da Via Sacra numa igreja, percorrendo as 14 estações.

      • Fazendo a leitura da Paixão e Morte de Jesus Cristo, por 15 minutos, (se não puder fazer a Via Sacra.)

      • Fazendo a Renovação das Promessas do Batismo, na data do próprio Batismo. Pode-se usar qualquer fórmula.

      • Visita e adoração ao Santíssimo por meia hora.

      • Participação na Primeira Comunhão de crianças.

      •Visita à igreja paroquial, no dia do Padroeiro.

      • No dia de Finados. 2 de Novembro:Visita a uma igreja, reza de um Creio. Pai Nosso, confissão e comunhão (do mês), oração pelo Papa (pode ser Pai Nosso, Ave Maria, ou qualquer outra oração.)
      Além disso, pode-se lucrar indulgência plenária desde o dia 1° até dia 8 de Novembro. Condições: visita a um cemitério, rezar pêlos falecidos, oração pelo Papa, confissão e comunhão mensal.

      É necessário ainda, além da repulsa de todo o afeto a qualquer pecado, até venial, o cumprimento das três condições seguintes: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do Sumo Pontífice (costuma-se rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória). Uma confissão pode valer para se obterem todas as indulgências plenárias durante o período de um mês.

      Terezinha, para ficar mais claro, coloco abaixo dois vídeos muito bons que explicam sobre as indulgências:

      Se ficou alguma dúvida, me escreva novamente que vou procurar ajudá-la.

      Qual o nome do seu pai? Vou rezar e oferecer indulgências por ele também, se quiser.

      Atenciosamente,

      Juliana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: